5 principais competências de segurança para PMEs

| 7. set 2020

Proteja o seu negócio

Há um estereótipo em relação às Pequenas e Médias Empresas (PMEs) sobre a falta de formação, subfinanciamento no que toca à segurança. De facto, muitas PMEs acabam por cair no erro de assumir que por terem um número reduzido de colaboradores, não precisam de grandes investimentos em segurança.


• Em Dezembro de 2018, as PMEs enfrentaram, em média, 43 ataques de ransomware e 465 ataques de phishing de acordo com dados da Forbes.

• Um relatório da Verizon sobre ataques informáticos em 2018 concluiu que 58% das violações de dados visam as PMEs.

• Segundo a Switchfast Technologies, 60% das PMEs atacadas fecham no prazo de seis meses, apesar de mais de metade dos seus líderes não acreditarem que são alvos.


Portanto, qualquer empresa está em risco. E está na hora de se prevenir.


 1. Pense como um "black-hat"


Para ter um sistema seguro, é importante pensar como um hacker. Muitas vezes é mais útil antecipar um ataque e preparar uma resposta, do que recuperar danos posteriormente.


Como pode antecipar ataques? Faça testes de penetração. Kali Linux, por exemplo, é uma ótima plataforma para testar o seu sistema - ou certifique-se que o seu MSP (Managed Service Provider) faz esse tipo de teste.


 2. Invista na segurança das redes e infraestruturas


A sua rede é segura? Elementos básicos como a proteção da rede Wi-Fi ou alteração regular de passwords, ajudam a minimizar as violações de segurança. Mas para proteger realmente o seu negócio, precisa de ter uma firewall que o protege.

  • Quando corretamente implantadas e configuradas, as firewalls da próxima geração (NGFW) são o verdadeiro herói da segurança das redes. Serviços que pode adquirir com uma firewall:
  • Serviços de prevenção de intrusões
  • Gateway Antivírus (GAV)
  • Filtragem de conteúdo
  • Funcionalidades antisspam
  • Gestão da aplicação
  • Proteção de entradas não-standard
  • Sandboxing Cloud


 3. Adquira serviços de sandboxing


Os serviços de sandboxing cloud são redes que oferecem uma análise em tempo real de ficheiros suspeitos. É um detetor de ameaças avançado.


Algumas aplicações standard, como o Adobe Reader e o Microsoft Office, já têm modos sandbox incluídos, mas a "Shadow IT" (colaboradores que utilizam as suas próprias soluções para enviar e receber dados de uma forma muitas vezes indetetável) é cada vez mais comum. Certifique-se que o seu sistema de segurança tem uma sandbox integrada.


 4. Criação de endpoints


Qualquer dispositivo móvel é um endpoint e, como principal ponto de interação para os colaboradores, devem ser protegidos com soluções antivírus /ou Plataformas de Proteção de Endpoints (EPP). Estas ferramentas ajudam a monitorizar e mitigar ataques que comprometam cada endpoint, o que significa que o malware ou vírus não se pode espalhar lateralmente por todo o seu negócio.


A escolha de uma solução de segurança de endpoints que ofereça controlos automáticos de reversão é importante para o seu negócio. Minimize o tempo de recuperação tanto para os seus colaboradores como para os clientes.


 5. Construa um sistema fundamentado


É importante assegurar que o seu fornecedor de serviços ou as suas ferramentas de segurança individual cobrem um conjunto de competências de segurança - testes de penetração, segurança IOT, segurança de redes, identidade e gestão de acesso, e outras competências transversais.


As certificações mais reconhecidas que lhe garantem que o seu gestor de IT sabe qual a melhor forma de proteger o seu negócio são a Certified Information Security Manager e a Certified Information Systems Security Professional.


Pronto para saber mais sobre como o podemos ajudar a simplificar o seu IT? Clique aqui para entrar em contacto connosco.



Artigos relacionados

Artigos relacionados