Como podem as empresas preparar-se para o mundo do trabalho do futuro

| 9. set 2020

Todas as empresas têm de lidar com a forma de tornar o trabalho diário mais eficiente. Não são apenas aqueles que estão a crescer ou a mudar o seu espaço de trabalho que precisam de se dedicar ao assunto.


"Temos de nos preparar para o futuro” Está sempre a ouvir esta frase, mas o que é que ela realmente significa? Como é que se prepara para o futuro? A base para poder dizer "Queremos continuar prontos para o futuro" deve ser estabelecida em todas as empresas. Isso aplica-se a vários níveis ao mesmo tempo. Um fator frequentemente subvalorizado é a organização dos fluxos de trabalho: as empresas têm de evitar estrangulamentos no fluxo de trabalho e romper com os sistemas de dados e soluções isoladas.








Em Oslo, a gestão de dados está organizada como um escritório partilhado: transparente e aberto a todos


Repensar a comunicação nos escritórios, estabelecer uma infraestrutura pronta para o futuro e poder expandir-se de forma flexível - essa é a base para o futuro do trabalho. O escritório de arquitetura norueguês Arcasa Arkitekter, em Oslo, é um exemplo de como uma ideia que é sustentável pode garantir a eficiência ao longo dos anos. Todos os membros do grupo de trabalho estão reunidos num grande escritório partilhado num antigo edifício de tijolos. Desafio: dar a cada um simples acesso a todos os dados e documentos e garantir um fluxo de trabalho contínuo. Desde o MS Office e desenhos CAD até à impressão A3,etc. Os gestores da organização interna, Marianne Ruud e Karin Kristiansen, encontraram uma solução multifuncional para todos aqueles que no escritório planeiam, esboçam e desenvolvem desenhos técnicos como modelos de construção. O local de trabalho funciona agora como um escritório inteligente com uma nova organização e infraestrutura que fazem dos impasses e interfaces incompatíveis uma coisa do passado, não só quando se trata de gestão de dados, mas também de digitalização, cópia e impressão. Todos têm acesso a tudo o que precisam. Isto permite uma visão geral nas reuniões com os clientes e nos planos de preenchimento de paredes, de modo a proporcionar um melhor resumo de projetos completos. Nesta base, os arquitetos Arcasa podem integrar os últimos desenvolvimentos adaptados às necessidades de cada indivíduo nos próximos anos.



De Roma para o mundo: acesso em toda a parte à gestão de dados e à gestão centralizada da impressão


A firma tem escritórios na Europa, EUA e China, e o desafio para o futuro do trabalho neste caso é fazer com que a gestão de dados e a comunicação do escritório sejam consistentes até à impressora. Para tal, os especialistas em IT registaram e analisaram todo o fluxo de trabalho da empresa. Nesta base, criaram um novo arquivo digital, que permite um acesso rápido e preciso aos documentos a partir de todos os locais, com base em diferentes critérios. Desta forma, o fluxo de trabalho pode ser perfeitamente interligado em três continentes sem problemas de compatibilidade. Os continentes são reunidos com uma gestão de dados e suporte informático uniforme.




Trabalho em rede: todos sabem onde as coisas estão e como encontrá-las

As soluções isoladas estão a tornar-se cada vez mais simbólicas do passado. As interfaces centrais para o intercâmbio de dados e os instrumentos uniformes para a comunicação de escritório em grupos individuais e grandes comunidades simplificam consideravelmente o trabalho quotidiano. Jonathan Grudin, investigador principal da Microsoft, vê o desenvolvimento tecnológico a depender cada vez mais do indivíduo no futuro: "As pessoas vão criar os empregos do futuro, em vez de apenas receberem formação para eles. E a tecnologia já desempenha hoje um papel decisivo". As pessoas continuam a ser responsáveis pelas tecnologias que as acompanham no futuro.